Importante

Todos os textos do blog, em prosa e verso, a não ser quando creditado o autor, são de minha autoria e para serem usados de alguma forma, necessitam de prévia autorização.

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Corra que o banal vem aí


Pra mim, a poesia, enquanto linguagem e forma singular de expressão, é a negação do banal. Poesia é do domínio do espantoso, do inesperado, do novo e do diverso de qualquer outra linguagem escrita.

Depois de ter lido mais um enfadonho poema rimando beijo com desejo, escrevi um sobre isso, ou seja, mais um poema metalinguístico pro meu estoque. Será então também enfadonho isso?


(transcrevo parte de uma conversa virtual:)

Interlocutor: Adorei

Eu: Não achou o final muito...rude?

Interlocutor: O final não foi rude
Mas foi meio vulgar

Eu: É assim: faça poesia até com o c*, mas nunca faça poesia banal. E tenho dito. Isso ajuda a quebrar o paradigma de que poesia tem que ser sempre "bonita".

Interlocutor: Entendi

Eu: Acho que posso falar, pq eu mesmo sou um cultor do belo na poesia. Só que tenho essa consciência de que poesia é mais amplo que isso, não tem que se limitar ao que é esteticamente belo e politicamente correto pra ser legítima, que ela não abriga só o belo.

Interlocutor: Sim.  Mas acho q ficou meio vulgar.  Vc se expõe bastante

Eu: Ah me exponho mesmo. Não escrevo muito preocupado com o que fulano ou beltrano vai achar e dizer, até pq já li um ou outro desaforo absurdo a mim por ter escrito coisas líricas e belas. Acho que essa preocupação prévia tolhe, faz o poeta correr o risco de se apequenar, de não dar o melhor de si. Temos que ter essa fúria e ímpeto. Isso dito, pode soar pra alguns como arrogância ou autossuficiência, mas não é, é só convicção. Essas reações eventuais são movidas a preconceitos.


Bom, melhor encurtar esse assunto, pq a banalidade é como um trem sem freios  e ele pode pegar o desvio nos trilhos em que estou sentado escrevendo...


8 comentários:

  1. Sempre aprendendo com o mestre! Você sabe que fiquei conhecendo poesia através de você e de suas explanações por aqui. Até me arrisquei a fazer poemas e acho que tenho conseguido. Primários mas estou no caminho do aperfeiçoamento. E tudo graças a você. Através desse seu texto/aula, mais um aprendizado e um ganho através desse seu belo poema. Obrigada!!!

    ResponderExcluir
  2. Valeu, Roseli, minha leitora assídua e grande incentivadora. Eu é que agradeço!

    ResponderExcluir
  3. Nada banal... mesmo que leiam no C* do mundo (Y)...

    ResponderExcluir
  4. Respostas
    1. Valeu, Cassia Cabral, nova seguidora do blábláblog!

      Excluir