Importante

Todos os textos do blog, em prosa e verso, a não ser quando creditado o autor, são de minha autoria e para serem usados de alguma forma, necessitam de prévia autorização.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Mudançando

                    




Cansou trocou as alergias pelas alegrias os miasmas por orgasmos a catarata por sorvete de nata sem fé por café tensão por tesão o inferno do terno pelo em pelo pós-moderno  desconstrução em construção encontros são enquantos de encantos nos cantos e centros dentro descansou que é cansar-se de se cansar e pois sim pôs-se a causar desenclausurar seus desejos adejos de asas céu profundo nuvens rasas Îcaro arremete Prometeu só promete fim de tarde o sol arde a nuca antes tarde do que nunca cansou-se do trivial do frugal de guinadas de trezensessenta graus não quis ser mais um clone de si e sim um ciclone em frenesi não o fim mas o até que enfim


                            
                                        

sábado, 6 de maio de 2017

Rima e solução





 Rima e solução


Lucidoidos têm lampejos beijos de língua universal particular nas partículas de estrelas lambidas lambda farto flerte com o inesperado inoperado a pós-agonia da cosmogonia lucidoidos têm lampejos feito vagalumes que comem legumes veganos luz de distância em qualquer instância lucidoidos são assim um nanquim indelével que tatua mentes e corações e os faz resilientes insurgentes convergentes bom ver gente beber nessa fonte que verte luz e subverte tabus lucidoidos piram inspiram saltos sobressaltos quânticos cânticos de transgressão às normas mornas o martelo de Nietzsche Gentileza e os grafites Einstein mudando o tom de Newton Bispo do Rosário e seu mundo indumentário lucidoidos mudam o mundo esse mundão o chamam de Raimundo e inventam a solução