Importante

Todos os textos do blog, em prosa e verso, a não ser quando creditado o autor, são de minha autoria e para serem usados de alguma forma, necessitam de prévia autorização.

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Facetas


Os normalistas

Normalidade é fachada, é a fechada no trânsito, é flechada equivocada de Cupido, é o discurso cuspido pra tapar sol com a peneira, é vatapá sem dendê, escolher no unidunitê. Vou te contar um segredo, tenho medo dos normais demais, fico de pé atrás. Somos nós uns psicóticos anedóticos cheios de nós na cabeça, mas sabemos ter disfarces como o do bom vizinho que dissimula e faz cafuné no menininho mas à noite com ar de gula estrangula seu passarinho. Tem louco que parece normal, com cara de vitral angelical, mas tem lúcido genial que tem ideias tidas como loucas, não poucas e passa de estigma a fundador de paradigma. Muito normal é máscara social. O normal.  genuíno, o na intimidade, não o de fachada, mas o de cara lavada, deveria dizer a verdade, não ligar pra idade e apoiar as liberdades, mas este ê o normal ideal idealizado, o dito normal é o normal consagrado ensaiado do sorriso de gesso e que acha que tudo tem seu preço.

No dia a dia chega a ser normal tanto cinismo e hipocrisia. No Carnaval vou sair de fantasia de normal, de terno e bravata. Entre o que é normal pra uns e pra outros, sejamos normais, mas jamais escrotos.

                                                                



Nenhum comentário:

Postar um comentário